Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Um ano sem cigarros!

por Rosinda, em 27.09.13

Um ano, já fez um ano que deixei de fumar. Não foi fácil, ainda lembra. Sei por experiência própria que em relação ao tabaco, o fumador é mentiroso, muitas vezes diz que quase não fuma, outras tantas diz que deixou e vai cravando um cigarro ou mais, até que acaba por voltar a comprar. Enfim, o vício e o hábito de fumar é terrível! Mas eu não fumo desde Setembro do ano que passou. Amanhã, não sei, ninguém sabe, mas sei que não quero fumar mais. Fumei mais de quarenta anos, só durante a gravidez dos cinco filhos parei de o fazer. Tive alguns graves problemas de saúde, entre eles uma (Atípia citológica grau um) nas cordas vocais, uns dias depois da cirurgia estava a acender o cigarro. Quem fuma vai entender do que falo. Então que foi que aconteceu que me fez deixar agora o cigarro?

Foi uma questão de vergonha antecipada...

 

Ia eu a caminho da entrada da casa da minha mãe e chamou-me a atenção um homem, nem novo, nem velho, mas sem dúvida com mau aspecto. Mas não foram as suas características que me chamaram a atenção, mas o facto de trazer na mão o que me pareceu ser o cabo de madeira de uma vassoura. Numa das pontas um prego que servia de espeto. Com estranheza observei que esse espeto servia para apanhar pontas de cigarro que colocava num saco plástico. Esquisito, pensei e como estava parada à espera da minha mãe, para darmos a voltinha diária  habitual, continuei a olhar para ver o que faria a criatura com as coriscas. Fiquei gelada e repugnada quando me apercebi que depois de esfregar o saco plástico para soltar o tabaco, o homem enrolava aquela "mistela" numa mortalha e fumava...

Aquela imagem ocupou-me a cabeça o dia inteiro e pensava: Se um dia não tiver dinheiro para os cigarros serei capaz de fazer o mesmo ou até pior? Comecei a pensar que quando ficasse a viver sozinha, (o que já se avizinhava, pois a minha filha foi viver com o namorado) eu tinha que escolher, ou comia, ou fumava, ou então... apanhava coriscas! Garanto-vos que nessa noite tive pesadelos e quando acordei tinha decidido que não voltava a fumar.

Nunca mais voltei a ver esse homem, mas apesar de me fazer lembrar ao que pode chegar um ser humano, a ele agradeço o estar livre de um vício que me limpava a carteira e me sujava os pulmões! Como é bom sentir a boca limpa e respirar tão bem!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:21

Ontem...

por Rosinda, em 25.09.13
https://c1.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/obd014a8c/15760842_N8Znj.jpeg

Ontem chuviscou... adorei o cheiro a terra molhada. Olhei para o céu, o sol recusava ir embora e fazia brilhar as pequenas gotas de chuva... Bem gostaria de ter sido brindada com um arco-íris, mas não apareceu.  A noite chegou e encontrou-me nostálgica e só. Acendi a luz...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:06

Sentir...

por Rosinda, em 17.09.13
https://c1.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/o3d0149f9/15729586_jrqlz.png
O pensamento é triste; o amor insuficiente;
e eu quero sempre mais do que vem nos milagres.
Deixo que a terra me sustente:
guardo o resto para mais tarde.

Deus não fala comigo - e eu sei que me conhece.
A antigos ventos dei as lágrimas que tinha.
A estrela sobe, a estrela desce...
- espero a minha própria vinda.

(Navego pela memória
sem margens.
Alguém conta a minha história
e alguém mata os personagens.)



Cecília Meireles

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:56

Que seja um bom fim de semana para todos...

por Rosinda, em 13.09.13
https://c1.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/o1002ede0/15711883_gmrpr.jpeg
(fotografia tirada por mim a uma orquídea que vive na minha sala)

Admiro a terra, quero-a, sempre gostei dela. Sempre me senti feliz por estar vivo: apesar da guerra, das más notícias, não sou capaz de matar em mim a simples alegria de viver.

Julien Green

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:20

Podia...

por Rosinda, em 06.09.13

Se eu quisesse podia ser livre, viver ao sabor da Natureza, mas não o faço.

Não o faço porque  sou dependente. Tenho tantas coisas e tantos sentimentos que me prendem que, jamais serei LIVRE.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:15

Estou viva, estou aqui de volta e...

por Rosinda, em 03.09.13
https://c1.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/o7009038e/12892947_VRu9d.png
A vida é sempre inexplicável, se você a tem.

Se você está realmente vivo, há algo tão misterioso sobre isso que não pode ser explicado de maneira alguma.

Não há explicação.

Se você pode explicar sua vida, simplesmente significa que está morto e não vivo.

Se puder encontrar um homem que possa explicar sua vida do começo ao fim, logicamente, sistematicamente, esteja certo de que ele pode ser um computador, uma máquina, mas não está vivo.

Só coisas mortas podem ser explicadas do começo ao fim.

Osho

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:46


"O próprio viver é morrer, porque não temos um dia a mais na nossa vida que não tenhamos, nisso, um dia a menos nela." (Fernando Pessoa)


tradutor

Site Meter

Pesquisar

Pesquisar no Blog  




Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Obrigada pela visita


análise web site


Algumas das imagens deste blog são retiradas da Internet. Se alguma pessoa se sentir lesada por favor diga e será retirada