Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


ORA ESSA! (parte7)

por Rosinda, em 12.07.09

 

 Ora essa! É o titulo deste poste, assim acabei o post anterior, e realmente, não faltava mais nada!

Decididamente o meu marido estava maluco! Perguntei-lhe se ainda era a mesma mulher que tinha tido antes, a resposta foi de um sem vergonha, disse que o que mais teve foi mulheres! Para eu não pensar que era a mesma porque não era. Disse também que ia viver com ela quando viesse.Fiquei escandalizada, e muito magoada, falava como se eu não fosse mulher dele.

O tempo foi passando, o nosso filho foi-se conformando. Começaram as aulas, ele tinha concorrido para o Algarve,(a namorada era e é de lá)chegou Setembro e ele foi, senti muito a falta dele em casa.Ficou a minha filha, mas também começou a namorar por essa altura, então eu sentia-me cada vez mais só..  Telefonava-me a minha irmã todos os dias. Resolvi deixar de fumar...Assim o tempo foi passando e chegou Dezembro, altura das férias do meu marido e do meu filho!Chegaram com um dia de diferença, embora eu soubesse que o meu marido já estava em Portugal á dias.

Quando chegou, apesar de ter as chaves de casa, bateu á porta. Entrou, deu boa tarde, como se não fosse a casa dele, a mulher dele, e não tivessem passado oito meses,enfim,situação muito ridícula e caricata. Foi directo para o quarto pequeno, eu tinha posto lá a nossa mobília de quarto, estava pronto, para o receber. Procedia como um estranho, pediu para tomar banho, qualquer coisa que fizesse, perguntava se podia, então eu disse-lhe:

Não precisas de pedir, estás á vontade, não somos estranhos e esta ainda é a tua casa! Sorriu, com ar deslarado,mas não respondeu. Chegou o nosso filho.Ele foi buscá-lo á estação e devem ter conversado pelo caminho, pois não houve conversa nenhuma em casa, á excepção de não dormir no nosso quarto era como não se passa-se nada,falávamos quase nada, saía e entrava quando lhe apetecia, ou por falta de coragem, ou por querer esperar a altura certa, ele não disse nada, e eu com muito esforço, consegui calar a dor e a mágoa.                      

 Chegou o Natal, ele tinha dito ao filho para me dizer que não queria ajuntamentos da família, fiz-lhe a vontade, até porque o ambiente era péssimo.Foi o pior Natal da minha vida! Sabe Deus como, consegui fazer tudo como manda a tradição, como sempre fiz, mas todos e só éramos nós, o nosso filho e a minha filha, nos remetemos a um silêncio...mais parecia um velório, que uma Seia de Natal!

Entretanto eu pensava que o nosso filho estava conformado, mas longe disso! Num dos dias em que o pai saiu quis falar comigo, para me dizer, que tinha descoberto quem era a fulana e afinal mãe não é quem tu pensas... Perguntei quem era se sabia o nome, ele disse então o nome , frisando que eu não devia conhecer, porque o nome não lhe dizia nada! Só que ele conhecia a pessoa e eu também, eu sabia o nome, ele só a conhecia como irmã daquele casal nosso amigo, que até foi fazer-nos companhia, quando fomos cumprir uma promessa ao S.Bento.Assim fiquei a saber quem era,já a conhecia desde que o conheci a ele, ela era garota nova, nessa altura, agora deve ter quarenta anos. O meu filho tinha muito más intenções  quando soube quem era, tentei tirar-lhe essas ideias, conversei muito com ele e entretanto soube que ela tinha uma filha, ficou com pena da criança, e não fez nada.  

O meu marido faz anos logo a seguir ao Natal, nesse dia depois de beber bastante, teve coragem de falar com o filho, estavam na cozinha, eu estava na sala com a minha filha e o namorado. Começou a falar alto,ouvíamos todos na sala e chamei-lhe á atenção que não estávamos só nós, e que não tinha o direito de me expor assim. Discutimos , disse-lhe que sabia quem era!Ficou admirado,mas não negou.Disse ao filho que estava a fazer um sacrifício muito grande ficando em casa, só o faço por ti ! Então o filho disse-lhe: Se estás a fazê-lo por mim não faças No dia a seguir foi embora, levou a roupa dele toda, as canas de pesca...ferramentas...as recordações sentimentais e da família, não levou nada...

Assim vinte e um anos de vida, não tiveram nenhum significado para ele. Mais uma vez sou trocada por uma negra, confesso que não sou racista, mas será karma?Terei sido noutra vida dona de escravos? Estarei a pagar por isso? Não acredito, mas, enfim...

Pareceu-me na altura impossível mais sofrimento...Mas não. Há pior...

Muito pior...

  ATÉ BREVE...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:37



"O próprio viver é morrer, porque não temos um dia a mais na nossa vida que não tenhamos, nisso, um dia a menos nela." (Fernando Pessoa)


Pesquisar

Pesquisar no Blog  



Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D


Algumas das imagens deste blog são retiradas da Internet. Se alguma pessoa se sentir lesada por favor diga e será retirada