Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


SAUDADES DE MIM...

por Rosinda, em 29.09.10

Talvez um pouco por culpa da minha mãe que hoje estava virada para falar do passado, bateu em mim uma saudade enorme. Não propriamente saudades do passado mas de mim e dos sonhos que albergava no coração. Foi já há quarenta e um anos que casei pela primeira vez. Menina de quinze anos que julgava ser aquela a forma de se libertar e ser feliz... Casamento imposto por meu pai, homem severo que quando "ele" lhe foi pedir para namorar comigo, deu o prazo de três meses para casar-mos. E assim foi! Hoje seria diferente, hoje as crianças têm mais protecção. Mas eu levava sonhos, muitos sonhos...

Julgava poder continuar os estudos, mas cedo vi que "ele" mais velho dez anos não me ia permitir. Passei a ter "um pai" um pouco mais novo, mas igualmente severo. Era uma jovem alta e magra muito bonitinha e com uma personalidade forte, debatendo já naquela altura o direito de ser igual aos homens. Falava com eles de igual para igual o que fazia com que ele tivesse uns ciúmes medonhos e me proibisse de trabalhar. Ficar dependente dele dava-lhe mais direitos. Tive o primeiro filho um ano depois, tinha dezasseis anos e aos dezoito tive o segundo. Deixei a minha vida arrumada na gaveta, tinha dois filhos pequenos.

Eram deste tamanho quando voltei a trabalhar. Da janela do escritório  de Mota & Companhia Lda.  onde exercia as funções da dactilografa e operadora de rádio (única forma de comunicação)  via-os assim a brincar no quintal, muito à vontade pois o calor era muito... Angola, barragem do Calueque, onde vivia na altura, as temperaturas são altas quase todo o ano. Já nesta altura eu tinha a mania de tirar fotografias e como podem ver a técnica não evoluiu muito para mim... lol Mas dá pelo menos para matar saudades... e que saudades me deram hoje meu Deus!

 Voltaram os ciúmes e muitos problemas, tive mais duas meninas, fui vivendo para eles, estivemos casados dezassete anos. Foi à tanto tempo...

Refiz a vida... refiz?

Voltei a casar, trabalhei desde modista a dona de café, em fábrica de confecção de vestuário etc. tive mais um filho, estive casada vinte e dois anos. Vivi!

Agora os filhos são adultos, não tenho trabalho, estou de novo só , mas estou viva! Isso é o que penso quando ao olhar para a fotografia do meu casamento me lembro, que a menina que levou as minhas alianças se matou à três anos por desgosto de amor... deixou dois filhos e o marido casou com a amante! Mau momento que a fez pensar que morrer era melhor que viver. Tenho de agradecer a Deus a força e o espírito forte que possuo e me faz AMAR A VIDA.

Os meus sonhos...?  É DELES QUE TENHO SAUDADES...

 

Rosinda

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:01


13 comentários

De blogear a 29.09.2010 às 17:21

Olá Linda


E que tal comecar a encerrar certos capitulos e comecar a ter novos sonhos?

Tens os teus Lindos filhos e com eles momentos muito Especiais, agora é olhar para a frente e criar novos sonhos

Mereces muito ser Feliz e nao tenho duvidas vais continuar com essa forca e continuar a Amar a Vida

Beijocas Linda e se precisares de força, sabes onde vir

De Rosinda a 01.10.2010 às 00:23

Sabes linda, já não doi olhar o passado...
Encerrar...? Não serei capaz, foi a minha vida, o meu caminho até aqui.

Um beijinho e bom fim de semana

De Marta M a 29.09.2010 às 17:40

Rosinda:
A nostalgia faz parte de nós...E é até um processo natural "docificar" algumas épocas da nossa vida. Particularmente com incidência no tempo em que os nossos filhos eram pequenos e quase sempre fonte de compensações e alegrias.
Acredite, revi-me bastante no que escreveu e entendo-a. Muito até.
Mas, apesar de me lembrar de estar vestida de noiva e do tanto que esse dia representava para mim como potêncial, também não ignoro que,na altura sabia tão pouco sobre a vida e até sob re mim mesma que não consigo (do alto da experiência que tenho hoje) sentir saudades literais desse tempo. Ou sequer dessa expectativa excessiva (e talvez irrealista) que mais não traz que frustração...
Se foi importante ter vivido? Absolutamente. Levou-me onde estou hoje.
E isso não há dinheiro que o pague.
Mas, às vezes, podiam ter sido mais suaves as provações que eu teria aprendido na mesma ;)
Abraço grande
Marta M

De Rosinda a 01.10.2010 às 00:27

A vida que tivemos é que fez de nós o que somos hoje, e concordo quando se diz que o sofrimento engrandece a alma. Mas algumas coisas eu queria diferentes e hoje faria diferente, mas hoje eu sou o que ficou de ontem...
Um beijinho e bom fim de semana

De Existe um Olhar a 29.09.2010 às 23:39

Olá Rosinda
Para quem te lê vê na tua história de vida uma força indomável, uma enorme coragem e uma capacidade de luta inegualável.
Mistura-se a alegria de teres os teus filhos, com a tristeza de dois casamentos falhados, mas amiga, estás viva, cheia de força e com uma sabedoria própria de quem muito sofreu.
Tiveste uma vida cheia, hoje estás sozinha, mas quem sabe um dia não tenhas a recompensa para tanta dor. Nunca percas as esperança e nunca desistas de ver as coisas pelo lado positivo.
A tua história de vida comoveu-me e eu que tanto sofri, agora comparando com a tua, a minha dor fica bem mais pequenina.
Mulher de força, mulher com "M" continua sendo igual a ti própria.

Beijos
Manu

De Rosinda a 01.10.2010 às 00:33

Manu a minha vida toda foi cheia de porquês e ainda hoje me pergunto porquê? Não encontrar respostas é por vezes o pior. Nenhuma história de vida está livre de sofrimento. Mas adoro a vida e se uns dias ando mais em baixo, trato de pensar positivo, afinal ainda assim tive tanta coisa boa...
Beijo e bom fim de semana

De luadoceu a 30.09.2010 às 14:09

amiga
desde que te li a 1 vez q tenho mesmo orgulho e gosto de ti
es uma mulher de forças e batalhadora
nao sao as vicissitudes e adversidades da vida que te fazem parar
e tens força de viver e lutar por ti mesma, ja e um ideal
tens teus filhos,teus maiores orgulho, mesmo que um ou outro tenha alguma infelicidade da vida, infelizmente, tem uma mae 5 estrelas,que os ama icondicionalmente
admiro te e respeito te,por isso te quero junto a mim e garanto te que sinto façta de te ler aki e no meu cantinho
obrigada pela partilha que me das da tua vida,espero ser merecedora e retribuir no que possa

tb sou muito saudosista.........bjinhos c mto carinho

e tens um bem,estas sempre alegre e nao te queixas da vida

De Rosinda a 01.10.2010 às 00:35

Obrigada Lua ... fico lisongeada por dizeres que tens orgulho de seres minha amiga. Minha querida eu é que te agradeço muito tanto carinho.
Um beijinho e bom fim de semana

De Jorge Soares a 30.09.2010 às 23:20

Olá Rosinda

Há algo que costumo dizer muitas vezes... somos o que já vivemos.. nem sempre as recordações são boas, nem sempre a vida nos leva pelo caminho que tínhamos sonhado... mas vivemos... e isso ninguém nos tira.

Do que li aqui consegui ver alguém que apesar das pedras no caminho, conseguiu viver... ter uma vida, fazer coisas... por si... não há vidas perdidas.

Belo post Rosinda, parabéns.

Jorge

De Rosinda a 01.10.2010 às 00:39

Obrigada Jorge pela presença e pelas palavras...
Lutei contra as marés da vida e elas não me venceram. Tem razão não há vidas perdidas, quando um homem quer "o mundo pula e avança"
Um abraço

De Tina a 02.10.2010 às 10:10

Olá, Rosinda!
Só hoje li este teu post encantador e triste ao mesmo tempo!
Encantador, pelos filhos que tiveste, pelo amor que lhes dedicaste toda a tua vida...
Triste, pelos teus sonhos de menina terem sido apagados tão abruptamente por duas pessoas, uma, teu pai que talvez pensasse que essa deveria ser a vida melhor que terias (e eras tão novinha....!) e outro, teu marido, déspota, egoísta, que te tratava como uma "coisa" dele, sem pensar que eras "humana" com sentimentos.
Todos na vida temos problemas, é certo, mas a tua história de vida foi muito forte e cheia de espinhos... foste muito machucada, Rosinda, mas valeu-te teu espírito forte, teus princípios morais, TU MESMO para ultrapassares tudo!
Um grande BEM-HAJA pela mãe e MULHER que foste! Deus não se esquece de ti, e todos os sofrimentos que passaste não foram em vão!
Tens uma linda família, que te ama!
E nosso coração só fica em PAZ plena, se não deixarmos que ele se apodere de rancor por todos os que nos fizeram mal nesta vida.
O perdão é a palavra-chave.
Eu sinto que perdoaste, pelas palavras ditas, mas a dor que tiveste deixou feridas profundas em teu coração!
Pensa nos teus filhos lindos (eles eram aqui na foto uns amores) e pensa nos netos, bocados de nós.
O resto, põe para o lado.
Todo aquele que faz mal, um dia vai ter sua factura também! Por isso os que te machucaram na vida irão ter os frutos daquilo que semearam. A vida é assim mesmo, acho!
E essa tua amiguinha que se matou... pena, de facto! Que Deus a perdoe e que descanse em PAZ!
Tua vida dava um filme, amiga!
Fica bem, fica com Deus no teu coração e pensa que tens a riqueza maior que podemos ter na terra, o AMOR de teus filhos.
Beijinhos para ti e melhoras de tua mãe.

De Anónimo a 05.10.2010 às 19:58

Ola Rosinda a sua vida realmente dava para fazer até um filme...
Mas a Tina disse e mt bem, o fundamental; Perdoar e vc perdoou e só assim a vida avança.
Certo é também que a lei da atracção funciona.
Quem faz o bem, ele, retorna nas mais diversas formas e muitas vezes de uma forma que nos fazt tão felizes. Temos que estar atentos ao que a vida nos dá e apreciar e guardar cada momento. Mas para quem faz mal esse também retorna e por vezes com uma força superior. Quanto a si, amou...
É uma senhora apaixonante e tem aquele olhar sincero e integro, que aprecio num ser humano.
O melhor do mundo para si e já sabe guarde o momento.
Gusty

De Adelaide Pinto a 19.02.2011 às 19:41

Olá Rosinda,

Sou filha de uma colega sua da Mota e Companhia, quando trabalhava no Calueque, camada Austalina (Lina), onde também eram colegas o Benedito e o chefe Coelho, todos do escritórios do armazém de onde saiam os materiais de construção, no ano 1974-75. Gostaria de saber alguns pormenores dessa povoação, na qual era certamente nossa vizinha! Havia o famoso Sr. Coméquéqué. Tem ideia? Há mais questões que tenho curiosidade em recordar. O meu pai, conhecido por Pinto, era polícia fiscal no posto do Calueque. Perto passava um canal de água, onde muitas vezes me fui refrescar!
Cumprimentos
Adelaide Pinto

Comentar post



"O próprio viver é morrer, porque não temos um dia a mais na nossa vida que não tenhamos, nisso, um dia a menos nela." (Fernando Pessoa)


Pesquisar

Pesquisar no Blog  



Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D


Algumas das imagens deste blog são retiradas da Internet. Se alguma pessoa se sentir lesada por favor diga e será retirada