Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Sem máscaras

por Rosinda, em 10.11.10

 

 

Desde que me lembro de mim como gente, lembro-me que sempre tive o coração muito perto da boca, e muitas vezes andei com o coração nas mãos. Mas nunca perdi a capacidade de amar. Sou de uma sinceridade um pouco dura, é verdade, mas quando tenho algo para dizer digo-o sempre com o coração. Não gosto de falar ou escrever por entre linhas, sou frontal e verdadeira ainda que por vezes me doa, mais a mim que ao visado. Eu sou assim, o que tenho no coração transborda, sai e lava-me a alma e depois acaba. Não sou capaz de albergar sentimentos negativos contra "ninguém" Porque eu sou ninguém... E penso que por aceitar a minha insignificância, encontrei o equilíbrio, para suportar tudo o que a vida me tem dado de mau, pensando no que tive de bom.

Hoje era para escrever aqui sobre a minha mãe, que felizmente está melhor . Está em casa, eu estou a cuidar dela. Tenho até que lhe dar eu as injecções, pois está com um medo enorme aos enfermeiros. Assim tem de ser e se me entristece,mas  sei que estou a tentar dar-lhe o máximo de apoio possível. E amor, muito amor.

Hoje ao  ler os blogs que leio habitualmente, senti que tenho que dizer o seguinte; Não sou pessoa de criticar nada, apenas constatar factos e livremente falar desses factos. Não leio assim tão bem entrelinhas, mas leio o suficiente. É pena, pois só posso dizer mesmo "é pena" que nem todos tenhamos a capacidade de respeitar e seguir em frente com um sorriso, mas não maldoso. Porque também há o sorriso maldoso, mas desse eu fujo a sete pés... nunca o quis nem o senti e não o quero para mim. Posso ter um sorriso triste, mas sempre sem maldade ou subterfúgios. Os desgostos não me puseram amarga, até quem me despreza eu respeito, mas tenho que dizer, que me faz pena, muita pena...que do muito de bom que existiu, só tenha restado no teu coração, essa raiva amarga. Eu lembro a partilha, as coisas boas e fico feliz com tudo o que possas conquistar de bom pela vida fora. E dói-me quando sinto que tens tanto de bom e te fixas em coisas que nada valem.  E porque sou mesmo clara e transparente, um abraço para ti Fátima, sem mascaras. A minha "inspiração" não tinha nada a ver contigo. Gosto do que escreves e tu sabes isso.

Rosinda

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:40


4 comentários

De Lynce a 10.11.2010 às 19:21

É só para agradecer o teu reconforte comentário. Com isto aprendi uma grande lição, ainda que virtualmente, a solidariedade e a amizade existem.
Uma vez mais o meu muito obrigado

De Rosinda a 10.11.2010 às 20:45

Não é preciso agradecer, apenas consigo entender essa dor e quis dar uma palavra de conforto. Tenho ainda a minha, embora mal, e sou mãe. na sua dor senti-me filha e senti-me mãe.
Um abraço
Rosinda

De allungare il pene a 11.11.2010 às 16:17

Olá, estou a estudar Português e eu aconteceram em seu blog que bom!

De Rosinda a 11.11.2010 às 20:39

Obrigado pelo comentário.
Cumprimentos
Rosinda

Comentar post



"O próprio viver é morrer, porque não temos um dia a mais na nossa vida que não tenhamos, nisso, um dia a menos nela." (Fernando Pessoa)


Pesquisar

Pesquisar no Blog  



Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D


Algumas das imagens deste blog são retiradas da Internet. Se alguma pessoa se sentir lesada por favor diga e será retirada