Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Sentimentos...

por Rosinda, em 15.11.11

 

Era muito jovem aquela mulher. Todas as manhãs passava no mesmo lugar. Carregava nos braços um bebé, ainda muito pequenino. Via-se que tinha sido mãe à pouco tempo. A jovem, dava todos os dias um passeio com o filho, quer chovesse, quer fizesse sol. Dizia ela que, o bebé precisava de ver o mundo...

Naquele dia, passando como de costume junto de uma velha casa, ouviu o choro de um bebé. Olhou para seu filho que aconchegado por baixo do seu casaco, olhava para ela com aquele olhar da cor do céu, que para ela era o mais lindo do mundo. Quem será o bebé? E porque chora tanto? Perguntou a si mesma, pois pela rua não se via ninguém.  O choro vinha de dentro da casa.

Seguiu o seu caminho, mas no pensamento levou o desesperado choro daquele bebé ...

Na volta para casa, passou ali de novo e nada ouviu.

No dia seguinte amamentou o filho e lá foram dar o seu passeio matinal.

Mais uma vez ao passar junto à casa se ouviu o choro desesperado de um bebé. A jovem, não conseguiu continuar sem perceber o que se passava.

Olhou para aquela casa quase em ruínas e cheia de receio, bateu à porta...

Abriu-lhe a porta uma mulher, já um pouco velha e com um aspecto de pessoa que sofre. Vestida de escuro e com tão má cara, que a jovem ficou assustada. Mas era ali que estava o bebé...

O que quer?

Perguntou a senhora com voz soluçante, quase como se chorasse falando.

Eu ouvi um bebé a chorar muito, como não é a primeira vez, fiquei com pena e quis saber se precisa de alguma coisa...

A mulher mandou entrar e a jovem mãe, sempre com o filho bem encostadinho a ela, entrou.

A casa era tão velha por dentro, como por fora. Estava tudo desarrumado e no meio de uma cama suja sem lençóis, só com um cobertor, estava uma menina, recem nascida, muito pequenina... 

A velhota ia resmungando:

Aquela filha da puta anda toda a noite no putedo  e não vê que eu não tenho leite para dar à menina! É por isso que ela chora! Está esganada de fome!

Ontem dei-lhe água da sopa, mas hoje não tenho sopa...

A jovem aproximou-se da menina, estava tão fraquinha comparada com o seu filho e eram da mesma idade...

Parecia-lhe mentira que alguma mãe pudesse deixar assim um filho com um mês de vida.

Tirou o casaco e colocou-o em cima da cama, onde pousou o filho. Sentou-se numa ponta do colchão, pegou na menina e deu-lhe o seu seio para que mamasse.

A criança olhava para ela com uns olhinhos escuros como azeitonas, enquanto mamava com sofreguidão. Quando a jovem saiu dali, a menina dormia profundamente.

Nada ou quase nada falou com a mulher, que afinal era bisavó da criança, mas ficou a saber que a mãe era prostituta e pouco ou nada parava em casa.

A jovem, quase uma criança ainda, estava chocada e quando chegou a noite, contou ao marido.

A senhora tinha-lhe dito que lhe dava a menina e ela queria a todo o custo que o marido autorizasse. Tal não aconteceu. O marido, homem mais velho e experiente, achava que podendo ter os seus próprios filhos, não tinha que criar os filhos dos outros.

Assim todos os dias de três em três horas, aquela jovem pegava no seu filho e ia amamentar aquela menina. Foi assim durante três meses.

Um dia bateu à porta e não estava ninguém...

Procurou saber, mas nada se sabia a não ser que tinham ido embora dali. 

Ainda hoje essa mulher , agora já avó, se pergunta; Por onde andará a minha menina de olhos negros...?

Deve ter agora quarenta e um anos...

 

Rosinda

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:29


18 comentários

De Electric Dreams a 15.11.2011 às 18:08

Adoro os teus blogs Rosinda, escreves muito bem. Mil beijinhos electrónicos!

De Rosinda a 15.11.2011 às 18:46

Obrigada ...
Aproveito para te dizer que recebi o convite para participar no teu blog de correspondência. Peço desculpa minha linda, mas não aceitei. A razão é que á rejeitei outros convites e agora não me parece bonito fazer diferenças, assim fico-me pelos meus blogs. Contudo, tenho prazer em que fiquemos amigas na mesma ok?
Beijinho
Rosinda

De miilay a 15.11.2011 às 18:35

Rosinda, que linda história, e pelo que o meu coração me diz , foste tu essa mulher maravilhosa!
Beijinho
miilay

De Rosinda a 15.11.2011 às 18:50

Obrigada Miilay...
Lembro-me dela muitas vezes...
Vivia no Lumiar, em Lisboa e a velha casa era perto do cemitério.
Que Deus tenha ajudado e que seja hoje uma grande mulher.
Beijinho grande
Rosinda

De blogando-me1 a 15.11.2011 às 19:20

Estou sem palavras e com um aperto no coração....

Bjs fofos

De Rosinda a 15.11.2011 às 20:02

Não fiques amiga, não era essa a minha ideia, ao contar a história. Quando nada mais podemos fazer, mas fizemos o que pudemos...
Beijinhos
Rosinda

De Jorge Soares a 15.11.2011 às 21:23



Há coisas para as que sobram as palavras

Beijinho Rosinda

Jorge

De Rosinda a 16.11.2011 às 17:24

Obrigada!
Abraço
Rosinda

De MIGUXA a 16.11.2011 às 00:01

Lindo amiga!!! Sempre te imaginei assim...de coração grande...concluir que tinhas sido protagonista nesta história não me foi nada difícil...

Que Deus te abençoe.

Paz e amor
Margarida

De Rosinda a 16.11.2011 às 17:26

Obrigada Margarida...
Que tudo te esteja a corres bem...
Um abraço bem forte para ti
Rosinda

De luadoceu a 16.11.2011 às 13:57

rosinda
ser mãe nao e so dar a luz
e cuidar,amar e amamentar.....dar educaçao....
e amar no todo
foi o que aconteceu com essa senhora que amamentou o bebe,com amor................
beijinhos...linda historia de amor

De Rosinda a 16.11.2011 às 17:27

Obrigada Lua, o amor ao próximo é muito necessário.
Beijinho
Rosinda

De A dor de perder um filho a 16.11.2011 às 22:23

Olá!

Depois de ler o seu texto, senti-me que comparada consigo, sou muito pequenina.
Obrigado pela sua generosidade e pelo seu amor ao próximo.
Um beijão
Goretti

De Rosinda a 17.11.2011 às 11:26

Obrigada Goretti, mas não se sinta pequenina, eu sou humanamente falando, uma pessoa normal, com muitos defeitos e muitos erros cometidos.

Tentei ir ao seu blog, mas diz-me que não existe...
Sei que já andei por lá , pois o nome toca-me .
Beijinho grande
Rosinda

De joanacruzoliveira a 30.11.2011 às 21:29

Realmente,o mundo é pequeno..eu vivia tambem no Lumiar....infelizmente não sou a sua menina de olhos negros mas deixe que lhe diga que de facto você deve mesmo ser uma pessoa extraordinaria!!!!que coragem, que coração maravilhoso...não é qq uma que o faria sabe?obrigada por ainda existirem pessoas como a Rosinda! que todo o bem que faça retorne a si em mil vezes:)beijinho grande

De Rosinda a 01.12.2011 às 15:34

Obrigada. Faria tudo de novo se pudesse. Não posso evitar lembrar-me dessa menina, especialmente quando o meu filho faz anos.
Um beijinho e mais uma vez obrigada.
Rosinda

De momentosdisparatados a 23.11.2011 às 16:22

Esta historia tem um misto de sentimentos. Por um lado é a tristeza de uma mãe que não protege o seu filho e depois de alegria porque alguém com um grande se preocupa com essa criança.
Parabéns por ser como é!
Beijinho

De Rosinda a 01.12.2011 às 15:35

Obrigada Maria. Desculpe só responder agora, mas realmente só agora vi o comentário.
Beijinho grande e bom feriado.
Rosinda

Comentar post



"O próprio viver é morrer, porque não temos um dia a mais na nossa vida que não tenhamos, nisso, um dia a menos nela." (Fernando Pessoa)


Pesquisar

Pesquisar no Blog  



Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D


Algumas das imagens deste blog são retiradas da Internet. Se alguma pessoa se sentir lesada por favor diga e será retirada