Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Uma história, ou a história de muita gente...

por Rosinda, em 14.06.12


Onze da manhã...

Como todos os dias ela começava a preparar o almoço. Rodopiando de uma lado para o outro andava a sua cadelinha, companheira de todas as horas.

No dia anterior tinha decidido fazer rojões à moda da avó de Nelas.  Colocou um tacho pequeno de ferro ao lume onde começou a confeccionar a carne.

Um outro tacho ainda mais pequeno para fazer o arroz branco, foi também colocado com água ao lume. Descascou uma batata, sim! Uma batata é suficiente para as duas, pensou...

De repente ficou um pouco parada...

Onde diabo vou cozer uma batata? - Os dois tachos mais pequenos já estão ocupados e os outros são enormes. Bateu com os olhos na canequinha onde costuma ferver a água para o chá e pensou:

É isso! Dá perfeitamente...

Enquanto descascava a batata a sua mente ausentou-se, voltou lá atrás... ao tempo em que comprava trinta pães por dia e muitas vezes não chegavam!

A casa não tinha o silêncio de agora. 

Havia sempre alguém que rondava pela cozinha ao sentir o cheiro da comida, para provar, ou perguntar :

-Falta muito mãe?

-Cheira tão bem... mulher! Dizia o marido...

De vez em quando dava uma sapatada numa mão mais ousada que tentava depenicar!

Sempre se imaginou com uma família numerosa, se a vida tivesse proporcionado teria tido mais filhos. Teve cinco. Eram sete pessoas sentadas à mesa todos os dias...

Começou a pôr a mesa. Os dois pratos, um em cada cabeceira, perdiam-se na mesa enorme.

Censurou-se pelos pensamentos negativos, afinal tinha comida para colocar na mesa, não tinha porque se lamuriar...

Mas o pensamento continuou a voar, indiferente à critica do seu subconsciente. 

E quando for só um prato?

Sim, porque um dia ela terá de fazer a sua vida...

Lembrou-se de repente que tinha de assinar aquele papel que recebe do Fundo de desemprego há cerca de seis anos e cujo prazo de entrega estava a chegar ao fim. Prazo de entrega... pensou com ironia:

-Agora quem está a passar de prazo sou eu...

Colocou a cruzinha no lugar indicando o sim, sim ainda gostaria de um emprego. Assinou cuidadosamente, secou a lágrima de frustração que lhe banhava os olhos e esperou que a filha chegasse para o almoço...



  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:32


"O próprio viver é morrer, porque não temos um dia a mais na nossa vida que não tenhamos, nisso, um dia a menos nela." (Fernando Pessoa)


Pesquisar

Pesquisar no Blog  



Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D


Algumas das imagens deste blog são retiradas da Internet. Se alguma pessoa se sentir lesada por favor diga e será retirada